Marina I. Jones Os Executivos Aventura Humana Tecnologia Mundo Rural Colaboradores

segunda-feira, 12 de abril de 2010

O Marketing ou Vamos Fazer uma Pesquisa de Mercado - Série: Os Executivos - Cap. 08

A Área de Marketing das empresas de alta tecnologia é a mais glamourosa da organização, pois ela tem o sex appeal, e seus ocupantes são, em geral, pessoas que sonhavam em  trabalhar na televisão e aparecer na mídia especializada em celebridades mas não deram certo, e assim, acabaram no Marketing.

Um dos primeiros diretores de Marketing da empresa, o tolo Simplício, tinha suas excentricidades. Era um indivíduo fashion, sempre antenado nas últimas tendências da moda parisiense. Ele alternava ternos nas cores tradicionais com modelitos verde-limão, lilás e laranja. Isto até facilitava as coisas para nosso CEO, dada sua incapacidade de decorar os nomes dos integrantes do Board. Nas reuniões diárias (stand-up meetings), ele freqüentemente chamava o diretor pelos nomes de Fanta Limão, Fanta Uva e Fanta Laranja, dependendo da cor do modelito que ele estivesse usando. Definitivamente era um diretor arco-íris.

Os demais integrantes do Marketing se dividem em Metrossexuais e Giseles Bundchens. As Giseles causam vários transtornos à organização, principalmente quando caminham pelas baias da organização, chutando tudo quanto é lata de lixo com seus andares gingados e esperneantes, tirando a concentração dos funcionários e consequentemente,reduzindo a produtividade da empresa.

Já os Metrossexuais (ala masculina das baianas do Marketing) não causam maiores problemas, exceto pelo gasto excessivo na aquisição de espelhos para assegurarem que suas imagens estejam sempre impecáveis. Esta tendência pelo uso exagerado de espelhos é visível até mesmo na principal sala de reuniões do Marketing, a qual possui uma grande mesa central, redonda, vibratória e com espelho no teto.

Normalmente, uma empresa terceiriza atividades não fins: tudo aquilo que não está relacionado com seu negócio, ela contrata de terceiros. No Marketing deveria acontecer a mesma coisa, mas como seus ocupantes são expoentes da fogueira de vaidades, narcisistas ao extremo acontece ali algo curioso: é o único setor da empresa que terceiriza a inteligência, um bem considerado dispensável pela celebridades.

O Marketing é dividido em vários bloquinhos, e vou comentar sobre alguns deles, que seguem a mesma cartilha: qualquer problema, contratamos uma pesquisa de mercado o que podemos exemplificar no seguinte diálogo real entre o CEO e o diretor de Marketing:

CEO: - “ Bom dia caro diretor de Marketing”.

Diretor de Marketing pensativo: - “Não sei ainda Sr., mas vou encomendar para já uma pesquisa de opinião para saber”.

O primeiro bloquinho é ocupado por nada menos que ele, O Diretor de Marketing ou o porta voz da empresa junto aos meios de comunicação. Ele também é conhecido como: Desperately Seeking Cameras.

Atualmente estes postos são preferencialmente ocupados por executivos do sexo frágil, que se apresentam melhor na televisão e são mais conhecidas na empresa como Bonitinhas Mas Ordinárias.

Elas são contratadas no mercado de uma maneira semelhante ao utilizado na aquisição de cavalos, escolhidas pela perfeição de suas arcadas dentárias. Essa prática também foi muito utilizada no passado, para aquisição de escravos. E isto por uma simples razão: é preciso que tenham um belo e caliente sorriso na telinha, contribuindo para passar uma imagem positiva da empresa junto aos telespectadores.

Normalmente as empresas avaliam os Diretores de Marketing pelo Ibope. Tendo eles um alto índice, significa que muitos telespectadores ouviram suas ladainhas sem sentido na televisão. A diretoria de Marketing, no entanto, utiliza pesquisas de satisfação de clientes para avaliar seus subordinados.

Um componente fundamental do Marketing é o setor de inteligência de mercado: responsável por identificar o que os concorrentes estão tramando. Isto é feito através de pesquisas pagas a peso de ouro. Toda a semana, a IM faz apresentações para o Board dos dados coletados.

Estas apresentações são muito demoradas, mais que um discurso do camarada Fidel. São tantos os dados repassados ao sonolento Board, que, no final da apresentação, ninguém se lembra de mais nada e mesmo que alguém se lembrasse, a própria inteligência de mercado não saberia o que fazer com tantas informações inúteis.

Dentro do Marketing, existem ainda os gerentes de produto, que são responsáveis por coletar dos sistemas de informação da empresa, os dados de venda, cancelamento, ou seja, a performance de cada serviço na organização. Eles também fazem longas apresentações mensais ao Board, conhecidas como a última sessão de cinema. Na verdade, todos na organização podem coletar estes dados on line, diretamente nos sistemas da empresa, mas até agora, ninguém pensou nisso.

Antigamente, as empresas eram divididas em engenharia, operações e Alta Direção, e mais alguns setorezinhos considerados insignificantes no velho modelo organizacional.

Com a ascensão principalmente do Marketing, com todo seu Glamour, a engenharia entrou em franco declínio, pois ela não podia competir diretamente com as celebridades, e foi englobada pelo Marketing, permanecendo lá com o pomposo nome de Desenvolvimento de Serviços. Ali, dentro do Marketing, estão os últimos dinossauros da era da supremacia da inteligência nas empresas. Este setor, é claramente estigmatizado pelos outros ocupantes do Marketing, que se dependesse deles já teria sido terceirizado há muito tempo.

Isto torna o relacionamento entre o Marketing e o pessoal de desenvolvimento de produtos quase impossível. As barreiras são intransponíveis. Por exemplo: enquanto o desenvolvimento trabalha no lançamento da, por exemplo, tecnologia ADSL, conhecida mundialmente por este nome, o Marketing, propriamente dito, resolve contratar uma consultoria e uma pesquisa de mercado, para auxiliá-los na reunião de Brainstorm, que irá definir o nome a ser utilizado pela empresa para o serviço. A área técnica da empresa denomina tais reuniões de festive meeting, revelando todo mau humor e rancor que lhe é peculiar.

Geralmente é escolhido um hotel fazenda para o tal Brainstorm, e os ocupantes do Marketing chegam em caravanas, carregando suas avantajadas malas, lotadas de peças de roupa e lingerie. Portam ainda uma nécessaire contendo todos seus apetrechos de make-up (maquiagem, espelhos tridimensionais, secadores de cabelo e pranchas).

Um dia após a chegada, ao acordarem, lá pelas 5 da tarde, todos vão para uma caminhada no campo, para sentirem o frescor da natureza e se desintoxicarem dos excessos cometidos no bacanal que se estendeu pela madrugada afora. Saem todos descalços, semi-nus dando gritinhos como um bando de bambis na relva. E lá vão eles e elas, dando risadas, gritando, e apontando para os animais selvagens, na verdade porcos, galinhas e vacas. À noite outro bacanal, regado a muito álcool.

O Brainstorm propriamente dito, ocorre uns três dias depois, quando finalmente conseguem fazer uma lista de nomes a serem avaliados pelo diretor da área. Como adsl, é uma tecnologia que possibilita o acesso internet em alta velocidade, eles escolheram: Barrichello, ligeirinho, e papa-léguas.

O diretor de Marketing, ao receber a lista, vai correndo apresentá-la ao CEO da Empresa, que fica intrigado, e pergunta:

- Mas por que esta homenagem para mim? Por que o Ligeirinho sou eu, não é o que vocês vivem dizendo?

Meses depois, a empresa lança seu serviço Barrichello, e como a resposta do público é nenhuma, o Marketing contrata uma pesquisa para identificar o problema. O resultado da pesquisa é esclarecedor, ninguém sabe o que é Barrichello, mas a maioria já ouviu falar em adsl.

O Marketing, vendo este erro dos clientes ignorantes, contrata então diversas agências de publicidade para explicarem o que é o produto Barrichello a eles. Quando os clientes estão mais ou menos conscientizados, sai a tecnologia de alta velocidade internet celular 3G e o Marketing recomeça tudo de novo, jogando uma pá de cal no Barrichello: primeiro uma consultoria, depois uma pesquisa de mercado e finalmente o Brainstorm, e lá se vão as gazelas saltitantes de novo arrumarem um novo nome para o 3G.

No próximo capitulo: Marketing (Parte 2)

8 comentários:

  1. Fatos que me chamaram a atenção:
    "principal sala de reuniões do Marketing".
    ... e o fato de colorirem as coisas com nomes "criativos" ou "chamativos" em lugar do simples e auto-explicativo. Mas o fato é que em muitos ramos isso funciona, então...

    obs: Agora vou dormir, acho que faz mais de 1 hora que me dedico ao seu blog!!! Mas é porque estava desatualizada já!

    ResponderExcluir
  2. Um prazeer saber que você continua minha fiel seguidora. abraços.

    ResponderExcluir
  3. Prezada Jakeline, o que me espanta é uma notável engenheira quimica ficar tão impressionada com a descrição da "principal sala de reuniões do Marketing"...o que me deixa bastante curiosa é saber como seria a principal sala de reuniões de um engenheiro...
    ...
    Prezado Sr. autor, gostaria de saber se este texto passou pela censura?

    ResponderExcluir
  4. Karen meu amor, a mesa oval, vibratória e com espelhos no teto foi apontada, em recente pesquisa do marketing, como um dos motivadores para as pessoas trabalharem ali.

    Sim , a censura só cortou alguns comentários mais jocosos.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Prezada Karen, só apontei os fatos que me chamaram atenção, não disse a minha opinião sobre eles, ou que concordo, até pelo contrário. Leia novamente meu comentário.

    ResponderExcluir
  6. Roger... que maldade... isso não é verdade... Mas ainda assim é divertido ler!!! Estou super atrasada na leitura do blog.
    Um abraço, meu amigo!

    ResponderExcluir
  7. Maldade por que? Tudo verdade verdadeira. Você sabe. Você é do marketing. Beijo

    ResponderExcluir
  8. Roger, sua descrição do brainstorm no lugar paradisíaco me deixou sem fôlego de tanto rir....rsrs. E tudo 100 por cento verdade!!!
    Parabéns amigo, sou seu fã incondicional....

    ResponderExcluir